domingo, 4 de junho de 2017

Top 10 (As Heroínas mais Respeitadas do Cinema)


De longe o ponto alto do ainda hoje comentado Batman Vs Superman: A Origem da Justiça, a indomável Mulher-Maravilha chega para por um fim na balela que super-heroínas não vendem ingresso. Com Gal Gadot no papel consagrado na televisão pela inesquecível Linda Carter, a amazona Diana Prince já merece entrar para a seleta lista das heroínas mais poderosas da sétima arte. Superando as incertezas em torno da sua escalação, a dedicada atriz israelense não titubeou dentro de um universo majoritariamente masculino e absorveu o misto de imponência, carisma e coragem da princesa com enorme desenvoltura. Impulsionada pelos empolgantes riffs da trilha composta por Junkie XL e Hans Zimmer, Gal Gadot não encontrou dificuldades para se tornar "A" Mulher-Maravilha dos cinemas, colocando a dobradinha DC\Warner na vanguarda dos filmes de super-heróis estrelados por mulheres. Antes de Diana Prince, porém, outras grandes heroínas já ganharam espaço no mundo da cultura pop. Com a estreia do aguardado Mulher-Maravilha (leia a nossa crítica aqui), neste Top 10 iremos lembrar de algumas das heroínas mais respeitadas do cinema. Na lista, porém, irei respeitar a faceta mais altruísta do gênero, portanto deixarei de fora figuras como a letal Nikita (Anne Parillaud) e a vingativa Bride de Kill Bill (Uma Thurman). 

 10ª Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence)


Uma das heroínas mais jovens e recentes da lista, Katniss Everdeen atestou a popularidade da obra de Suzanne Collins também no Cinema. Com Jennifer Lawrence no papel da protagonista, a quadrilogia introduziu uma personagem feminina astuta e corajosa, uma jovem capaz de se insurgir contra um opressivo sistema. Longe de ser uma mera distopia adolescente, Jogos Vorazes se tornou um sucesso de público e crítica, muito em função do sólido arco pessoal de Katniss e da sua habilidade nos campos de batalha idealizados pelo nefasto Presidente Snow (Donald Sutherland).

9º Ewoyn (Miranda Otto)


Num universo majoritariamente masculino, a cultuada Terra Média do escrito J. R. R. Tolkien, coube a uma marcante personagem feminina uma das cenas mais icônicas da franquia. Interpretada com afinco pela talentosa Miranda Otto, a corajosa Ewoyn mostra a sua força ao ter uma participação decisiva na batalha final. Sobrinha do bravo Rei Théoden, ela se camufla entre os homens sem medo das consequências, culminando numa das sequências mais poderosas da franquia. Uma bela maneira de se utilizar uma personagem feminina dentro ambiente brutalizado sem abrir mão da essência da heroína. Uma personagem corajosa e determinada que merece a nona colocação nesta lista.

8ª Hit Girl (Chloe Moretz)


Embora flerte com o anti-heroísmo do primeiro ao último segundo, a agressiva Hit Girl é uma heróina com H maiúsculo. Criada como uma pequena vigilante pelo seu pai, o bad-ass Big Daddy (Nicolas Cage), a pequena Mindy "chuta traseiros" sem pensar duas vezes, se tornando o sinônimo de força na parceria com o atrapalhado Kick-Ass (Aaron Taylor-Johnsson). Além da sua habilidade para a "profissão", a pequena personagem ganhou um status imponente nas mãos do diretor Mathew Vaughn, bem fiel à criação da dupla Mark Millar e John Romita Jr., se tornando um dos grandes trunfos deste pioneiro dos filmes de super-heróis para "maiores". A adolescente Mindy\Hit-Girl, aliás, voltou aos holofotes em Kick-Ass 2, mas o filme, embora divertido, nem sequer se aproxima do nível da qualidade do excelente primeiro longa.

7ª Gamora (Zoe Saldana)


Da nova "safra" de heroínas de Hollywood, a badass Gamora é de longe uma das mais marcantes. Um dos inúmeros pontos altos do magnético Guardiões da Galáxia (2014), a indomável personagem interpretada por Zoe Saldana rouba a cena dentro do filme inspirado num supergrupo b da Marvel. Sob a batuta do inventivo James Gunn, Gamora se insurgiu contra os clichês do "sexo frágil", assumindo um papel combativo num grupo formado por um convencido humano, um surtado guaxinim perito em armas, uma simpática e poderosa árvore ambulante e um brutamontes vingativo com um sério problema para compreender expressões populares. Dona de algumas das melhores sequências do filme, a cena da fuga da prisão é espetacular, a determinada Gamora se tornou uma peça chave do Universo Galáctico da Marvel Studios. Além disso, ela voltou a roubar a cena no recente e igualmente empolgante Guardiões da Galáxia Vol. 2, ganhando um arco pessoal ainda mais envolvente. Uma heroína de respeito. E ai daquele que falar o contrário.

6ª Alice (Mila Jovovich)


Muitos podem até questionar o nível de qualidade da franquia Resident Evil, mas é fato que a indomável Alice se tornou referência quando o assunto é protagonismo feminino num filme de ação\super-herói. Numa época em que o tema era tratado como um grande ponto de interrogação, o diretor Paul W.S Anderson decidiu promover uma releitura bem pessoal desta popular franquia de games. Embora as referências ao jogo sejam evidentes, o realizador propôs uma abordagem mais voltada para o cinema de ação. A principal mudança, entretanto, ficou pela criação de uma protagonista totalmente nova, a "polêmica" Alice. Interpretada com afinco pela dedicada Mila Jovovich, a caçadora de zumbis conseguiu sustentar esta questionada série com energia e coragem, construindo uma heróina forte, resiliente e realmente magnética. Apesar das críticas, a saga Resident Evil se tornou a primeira adaptação do universo gamer a prosperar nos cinema, muito em função da entrega do casal Anderson\Jovovich e da popularidade desta marcante protagonista.

5ª Viúva Negra (Scarlett Johansson)


Antes da Mulher-Maravilha trilhar o seu caminho pelo Universo DC\Warner, a instigante Viúva Negra roubou a cena no Universo Cinematográfico da Marvel e ganhou uma projeção que superou as expectativas. Após uma série de tentativas frustradas quando o assunto são os filmes de super-heróis estrelados por mulheres, vide os terríveis Mulher-Gato (2003) e Elektra (2005), a Marvel foi cautelosa ao lançar a sua primeira grande personagem feminina. De longe um dos grandes diferenciais do genérico Homem de Ferro 2, a letal Natasha Romanoff conquistou um merecido espaço dentro desta lucrativa franquia. Apesar do seu charme, a agente da S.H.I.E.L.D mostrou predicados bem mais promissores na sua primeira aparição, ganhando um papel de inegável relevância nos demais filme da saga. Com naturalidade e carisma, a perita em lutas e armas de fogo ocupou o seu lugar entre os mais populares super-heróis da "casa das ideias", combatendo ameaças intergalácticas, semideuses nórdicos, um vilão de desmemoriado e um dúbio executivo em filmes como Os Vingadores (2012) e Capitão América: O Soldado Invernal (2014).

4º Princesa Leia (Carrie Fisher)


Numa época em que as mulheres ainda pareciam presas ao rótulo do "sexo frágil", George Lucas tirou do papel a icônica Princesa Leia, uma protagonista indomável e precursora que ainda hoje é referência dentro da cultura pop. Embora respeite a feminilidade da protagonista, a trilogia Star Wars soube dar relevância a uma protagonista mulher, nos brindando com uma "princesa" que não titubeava em colocar a mão na massa. Com um temperamento forte, um carisma descomunal e um inquestionável poder de liderança, a heroína interpreta pela saudosa Carrie Fisher escreveu o seu nome na história ao se tornar peça chave de uma das maiores (talvez a maior) franquia do universo pop. Viva a Princesa Leia, Viva Star Wars.

3º Sarah Connor (Linda Hamilton)


Um exemplo de construção de personagem feminina, Sarah Connor mudou drasticamente do primeiro para o segundo Exterminador do Futuro. Interpretada com afinco por Linda Hamilton, a personagem surgiu como a "donzela indefesa" no primeiro longa, a futura mãe do homem que iria decidir a guerra contra as máquinas, o popular John Connor. Para a surpresa de todos, entretanto, James Cameron mostrou o seu reconhecido faro para o sucesso com o lançamento do O Exterminador do Futuro 2 (1991), uma das melhores continuações da história da sétima arte. Indo de encontro a estrutura do primeiro filme, ele mudou o panorama da franquia ao mostrar uma nova Sarah Connor, uma mulher forte e determinada preparada para proteger o seu filho de uma nova ameaça do futuro. Como se não bastasse a fisicalidade de Linda Hamilton, literalmente monstruosa em cena, o longa criou uma heroína capaz de rivalizar com a sempre magnética figura de Arnold Schwarzenegger, se tornando o grande diferencial desta icônica continuação. O sucesso foi tanto que a personagem ganhou uma série de TV e uma nova versão no recente e desastrado O Exterminador do Futuro: Gênesis.

2º Furiosa (Charlize Theron)


O que falar de um filme que estreou há tão pouco tempo e eu já considero tanto... Numa daquelas sacadas que só um corajoso realizador poderia ter, o setentão George Miller transformou uma franquia essencialmente masculina numa ode ao feminismo moderno em Mad Max: Estrada da Fúria. Contrariando o seu próprio título, o quarto capítulo da saga pós-apocalíptica traz a incrível Imperatriz Furiosa como a grande protagonista desta sequência. No embalo da fantástica atuação de Charlize Theron, a comandante se revela a força motora do longa ao "sequestrar" as escravas sexuais do nefasto Imortan Joe e livra-las da sua tirania. Esbanjando energia, a atriz sul-africana abre mão da sua reconhecida beleza para dar corpo e voz a uma personagem indispensável, um elemento revolucionário dentro de uma franquia tão bem estabelecida.

1º Ripley (Sigourney Weaver)


E o nosso primeiro lugar não poderia ser de outra.  Sob a batuta do "novato" Ridley Scott, Alien: O Oitavo Passageiro (1979) refutou o rótulo do "sexo frágil" ao introduzir a 'badass' Ellen Ripley, uma subtenente que se torna a última linha de defesa entre a Terra e uma impiedosa ameaça espacial. Como se não bastasse o virtuosismo estético do realizador britânico, Sigourney Weaver criou a heroína das heroínas, uma mulher forte, inteligente e corajosa capaz de combater os letais Xenormorfos ao longo desta franquia. Até porque, após trabalhar com Scott em Alien, a atriz voltaria a personagem em mais três filmes, com destaque máximo para a sua performance em Aliens: O Resgate (1986). Nas mãos do aclamado James Cameron, Ripley ganhou uma roupagem ainda mais impactante, encarando uma legião de aliens enquanto tenta proteger uma pequena sobrevivente. Uma das mais poderosas e memoráveis protagonistas da história da sétima arte.

Menções Honrosas

- Rey (Deisy Ridley)


Representante da nova geração da saga Star Wars, a indomável Rey precisou de apenas um filme, o estrondoso Star Wars: O Despertar da Força, para conquistar a maioria dos exigentes fãs desta cultuada franquia. Uma heroína corajosa, impetuosa e acima de tudo poderosa.

- Letty (Michelle Rodriguez)


Um dos símbolos da franquia Velozes e Furiosos, a destemida Letty roubou a cena num ambiente majoritariamente masculino. Indo de encontro aos clichês da donzela apaixonada, ela conquistou o seu espaço na base da força e da habilidade, uma figura 'badass' potencializada pela performance "marrenta" de Michelle Rodriguez.

- Tank Girl (Lori Petty)


Essa é 'old-school'. Heroína num cenário pós-apocalíptico, a descolada Tank Girl merece o nosso reconhecimento. Interpretada com energia pela carismática Lori Petty, a personagem se insurgiu contra uma mega corporação a bordo do seu estiloso tanque.

- Tempestade (X-Men)


Uma das principais aliadas de Professor Xavier, Tempestade escreveu o seu nome ao se tornar um dos principais nomes do filme que marcou a retomada do gênero, o respeitado X-Men (2000). Ótima atuação de Halle Berry.


Para mais informações sobre o mundo do cinema siga-nos no Twitter e no Facebook

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...