domingo, 10 de julho de 2016

Top 10 (Cinebiografias Esportivas)


Na última semana chegou aos cinemas o triunfal Mais Forte que um Mundo (confira a nossa opinião), uma cinebiografia à altura da história de vida do ex-campeão do UFC José Aldo. Dirigido por Afonso Poyart, o longa passou por alguns dos episódios mais marcantes na trajetória do popular lutador manauara, revelando de maneira intimista e nada condescendentes os principais obstáculos enfrentados pelo ex-campeão do UFC. Assim como Aldo, aliás, outras grandes personalidades esportivas emprestaram as suas histórias para Hollywood e renderam alguns excelentes filmes. Celebrando a vitória do lutador José Aldo no UFC 200, neste Top 10 iremos reunir algumas das melhores cinebiografias esportivas que o cinema já viu. E começamos com...


10º Rudy (1993)


Uma verdadeira aula de superação, Rudy é um daqueles dramas cinebiográficos indispensáveis. Estrelado por Sean Astin, o Sam de O Senhor dos Aneis, o longa dirigido por David Anspaugh acompanha a jornada de Daniel E. 'Rudy' Ruettiger, um jovem suburbano que sonha em jogar Futebol Americano por uma requintada universidade norte-americana. Além de não ter dinheiro e índices para estudar numa instituição deste porte, Rudy também não tinha tamanho para jogar competitivamente entre as grandes equipes. Disposto a colocar os seus sonhos em prática, ele não sucumbe ao pessimismo de todos os que o cercam e inicia uma jornada marcada pela força de vontade e pela disposição. Impulsionado pela vibrante atuação de Sean Astin, Rudy comove ao narrar esta poderosa história de superação. 

9º Seabiscuit: Alma de Herói (2003)


Estrelado por Tobey Maguire, Alma de Herói é um relato sensível sobre a parceria entre o jóquei John 'Red' Pollard e o seu indomável cavalo Seabiscuit. Sob a batuta do diretor Gary Ross, o longa volta a época da Grande Depressão para narrar a jornada de 'Red', um jovem considerado grande demais para a profissão. Disposto a se tornar um joquei de sucesso, ele é contratado por um simpático milionário para cuidar do indisciplinado Seabiscuit, um cavalo de pequeno porte que surpreende ao se revelar uma animal extremamente rápido. Unidos pelo destino, Seabiscuit e 'Red' constroem uma vitoriosa parceria ao encarar alguns dolorosos obstáculos e a desconfiança geral com determinação e força de vontade. Contando com uma direção de arte fantástica, Alma de Herói se revela um drama sensível e evolvente, um longa marcado pelas grandes atuações (Jeff Bridges, Chris Cooper e William H. Macy) e pelas excelentes cenas de turfe. Indicado a sete estatuetas do Oscar. 

8º Maldito Futebol Clube (2009)


Uma afiada comédia sobre os bastidores de um técnico na Premier League, a Liga de Futebol Inglesa, Maldito Futebol Clube é uma cinebiografia absolutamente original. Na contra-mão das principais cinebiografias, o longa dirigido por Tom Hooper narra as desventuras do técnico Brian Clough, um técnico promissor de personalidade forte que construir uma bela história no pequeno Derby County. Rival assumido do técnico  Don Revie, o treinador é pego de surpresa ao receber uma oferta pra a treinar do gigantes Leeds United, time cujo o último comandante foi o seu grande desafeto. Através de uma narrativa não linear, o realizador acompanha alguns dos mais problemáticos episódios enfrentados pelo treinador, brilhantemente interpretado pelo reconhecidamente talentoso Michael Sheen. 

7º Invictus (2009)


Acompanhando os bastidores do Campeonato Mundial de Rugby em 1995, Invictus é um drama inspirador sobre a união da África do Sul pós-Apartheid. Estrelado por Morgan Freeman, impecável como o presidente Nelson Mandela, e Matt Damon, intenso como o capitão da seleção François Pienaar, o longa investiga o complexo cenário social no início da década de 1990, revelando o preconceito, a desigualdade e as consequências deste nefasto regime de segregação. Conduzido com sutileza pelo veterano Clint Eastwood, o argumento vai a fundo ao reproduzir não só os feitos esportivos da seleção sul-africana, como também a relação dos jogadores com o pano de fundo político. Um filmaço. 

6º Um Sonho Possível (2009)


Inspirado no livro The Blind Side: Evolution of a Game, de Michael Lewis, Um Sonho Possível esbanja sensibilidade ao acompanhar a jornada do traumatizado Michael "Big Mike" Oher. Estrelado pela radiante Sandra Bullock, vencedora do Oscar com absoluta justiça, o longa dirigido por John Lee Hancock é contundente ao narrar a jornada deste recluso jovem, um adolescente de passado trágico que acaba sendo "adotado" por uma carismática família. Dispostos a ressocializá-lo, eles resolvem coloca-lo no Futebol Americano, descobrindo nele o talento natural para este popular esporte. Recheado de sequência reconfortantes, Um Sonho Possível é um drama caloroso e sincero. 

5º A Luta pela Esperança (2005)


Do Futebol Americano para o Boxe, A Luta pela Esperança retorna ao período da Grande Depressão para narrar a revigorante trajetória do campeão mundial de Boxe Jim Bradock. Conhecido popularmente como o 'Cinderela Man', ou o Homem Cinderela, o lutador norte-americano renasceu das cinzas ao deixar um trabalho braçal no cais do porto para se tornar um dos maiores pugilistas do período. Contando com a primorosa atuação de Russel Crowe, impecável ao traduzir o misto de emoções enfrentados por este obstinado personagem, o diretor Ron Howard acerta em cheio ao reproduzir a jornada deste homem que se tornou um símbolo de resistência para o povo americano durante um doloroso período. O calcanhar de aquiles do longa, no entanto, fica pela figura do lutador Max Baer (Craig Bierko). Reconhecido pelo seu temperamento brincalhão, o "rival" de Jim Bradock é retratado como um antagonista, uma figura detestável e agressiva. Uma opção inexplicável, principalmente por se tratar de um trabalho de Ron Howard. 

4º Ali (2006)


Frequentemente subestimada, Ali é uma cinebiografia completa. Conduzida com habilidade pelo experiente Michael Mann, o longa estrelado pelo indicado ao Oscar Will Smith passeia por alguns dos mais marcantes episódios envolvendo a carreira deste saudoso lutador. Indo além das sequências de ação, o realizador norte-americano investiga não só a contestadora postura política de Muhammad Ali, como também alguns dos seus feitos esportivos mais marcantes, entre eles a incrível luta contra George Foreman na década de 1970. Sem querer revelar muito sobre a película, aliás, a sequência de abertura de Ali é fantástica, uma reveladora síntese sobre a ascensão inicial do pugilista. Por outro lado, ainda que bem filmada, a grande luta entre Foreman e Ali passou longe dos fatos e sofreu diante das intenções dos roteiristas. 

3º O Vencedor (2010)


Ainda sobre o mundo do boxe, O Vencedor extrapola os limites do esporte ao narrar a dramática jornada dos irmãos pugilistas Micky Ward e Dicky Eklund. Impulsionado pelas estupendas atuações da dupla Mark Wahlberg e Christian Bale, o diretor David O. Russell é intimista ao desvendar os dilemas familiares do lutador norte-americano, um promissor atleta que precisa lidar frequentemente com a presença da sua possessiva mãe (Melissa Leo) e com as crises do seu viciado irmão. Assim como de costume em sua filmografia, Russel constrói um 'mise en scene' afiado e bem interpretado, uma película capaz de se aprofundar nos dilemas dos protagonistas sem abdicar do aspecto esportivo. 

2º Rush: No Limite da Emoção (2013)


Todos que acompanham a Fórmula 1, como esporte, sabem que a modalidade talvez seja uma das que mais mobilizam a paixão dos fãs mundo afora. Pra se ter uma noção exata disso, na Itália, a escuderia Ferrari consegue até mais atenção do que a própria seleção nacional de futebol. Aqui no Brasil, mais um exemplo, a Fórmula 1 é presença marcante nas manhãs de domingo de todos os fãs, e a morte do grande Ayrton Senna representou um dos dias mais tristes da história recente do nosso país. Escrevo isso para destacar a principal característica de Rush - No Limite da Emoção: a forma passional como ele leva para as telonas a grande rivalidade entre o Inglês James Hunt e o austríaco Nikki Lauda. Conduzido com primor por Ron Howard, este afiado drama se revela um relato fiel, humano e tecnicamente primoroso, um longa à altura do enorme talento desses dois grandes pilotos.

1º Touro Indomável (1980)


Um dos trabalhos mais poderosos do aclamado diretor Martin Scorsese, Touro Indomável é a cinebiografia definitiva. Inspirado nos relatos do próprio lutador Jake La Motta, o realizador norte-americano abalou as estruturas de Hollywood aos nos apresentar a um drama visceral, intenso e nada condescendente. Apostando na estética em preto e branco, Scorsese acompanha com intimismo a ascensão e a queda deste raivoso lutador, conhecido popularmente como o Touro Indomável. Impulsionado pela soberba atuação de Robert De Niro, que num esforço hercúleo engordou 25 kg para dar vida a fase mais envelhecida do pugilista, o longa não poupa o espectador ao narrar tanto a sua vitoriosa carreira, como também a sua agressiva conduta fora dos ringues. Em suma, Touro Indomável é uma obra completa, um filme agressivo e contundente tal qual o seu biografado. 

Menções Honrosas: O Homem que Mudou o Jogo (2011), Duelo de Titãs (2000), Carruagens de Fogo (1981), Invencível (2006), United (2011) e Raça (2016).

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...